Não Criamos mais Pessoas, Criamos Monstros

Não dá para entender como no Brasil, permitimos que nossos princípios de moral e ética possam ter sido perdidos, esquecidos, assassinados, sequestrados em tão pouco tempo.

Diariamente nos deparamos com ações bárbaras de violência cometidas por criminosos, ações que hoje passam desapercebidas por nossa sociedade, tamanho é seu grau de banalização, pois são inúmeros relatos diários, nas mais variadas cidades de nosso país.

O que não paramos para raciocinar é que criminalidade e violência possuem motivações distintas. O crime de roubo, tem como objetivo suprimir um pertence da vítima, mas para isso, na grande maioria das vezes, não é necessário chutar, dar soco, dar coronhada e muito menos atirar. Não necessariamente um crime tem que ser violento, mas não é isso que acompanhamos nos crimes que vem acontecendo em nosso país.

O grau de violência no Brasil perdeu o controle há muito tempo, por isso hoje convivemos com bárbaros, e a prova está no recente assassinato que ocorreu no Metrô de São Paulo.

Palmas para quem defende que não devemos punir nossos filhos, que não devemos punir delinquentes, que delinquentes e assassinos devam ter mais direitos e cuidados do que quem foi assassinado. Vocês realmente conquistaram seus objetivos, construindo gerações de pessoas sem limites, sem princípios, sem amor.

Chegamos ao ponto que os próprios bandidos não suportam mais tanta violência, e se submetem a fazer um manifesto em cadeias, pedindo que os crimes cometidos sejam menos violentes, que não haja “esquartejamento”.

Há muitos anos atrás, quando comecei a ver pais e avós tomando tapas na cara (literalmente) de filhos ou netos, sem que esses tivessem nenhuma reação para coibir tal ação, previ que em breve chegaríamos a realidade de hoje.

Vivemos num país sem valores. Criamos pessoas que não sabem mais dar valor para si, expondo gratuitamente sua privacidade e seu corpo; não sabem mais o valor de uma conquista, pois querem tudo de forma fácil e momentânea; não sabem mais o valor de um carinho, pois só querem receber, não sabem dar; não sabem mais o valor de uma vitória, pois no primeiro sinal de dificuldade, abandonam a missão, pois não sabem se frustrar;  em suma, criamos pessoas sem valor.

O problema que temos é que criamos cidadãos que hoje não respeitam a si, por consequência não respeitam a família, não respeitam as regras, não respeitam as instituições, não respeitam as antigas normas da sociedade, como o respeito aos mais velhos e mais experientes, não respeitam mão de rua, não respeitam fila na padaria, não respeitam as autoridades policiais, não respeitam o próximo e muito menos a vida do próximo, ou seja, não respeitam mais nada. O mundo todo esta aqui para servir a cada um individualmente, esta é a triste visão da nossa sociedade moderna.

Conquistamos o que semeamos.